Contratempo (Contretemps)

Instalação interativa, 2004-2010
Samuel Bianchini

Desenvolvimento informático da imagem: Emmanuel Méhois
Desenvolvimento do dispositivo tátil: Gilles Bollaert e Jérôme Grellier, (École européenne supérieure de l’image (EESI), Angoulême e Poitiers, França)
Participação de Reynaud Olry
Produção: Dispothèque

 

 


To download this image in high definition (Tiff), click here


To download this image in high definition (Tiff), click here


To download this image in high definition (Tiff), click here


To download this image in high definition (Tiff), click here

Contratempo, Samuel Bianchini, 2004-2010
Maintenance, exposição individual, École européenne supérieure de l’image, Poitiers, França, de 4 de Maio a 4 de Junho de 2010.
Fotografia: © Samuel Bianchini - ADAGP

 

 


Contratempo é uma instalação interativa. Num grande tela táctil em vidro integrado na parede, é apresentado um filme em “Ascii Art,” ou seja, composto inteiramente de caráteres tipográficos: o “cachimbo” (“|”), um traço vertical, e o “ponto” (“.”). A silhueta de um homem é desenhada à escala 1. Este encontra-se diante de uma parede na qual risca pequenos traços, como um prisioneiro que desconta os dias. Ambos compostos pelo signo “|”, os traços e o personagem confundem-se à medida que este último acumula os “|”, até ao ponto em que a tela, cheia de sinais, não deixa ver mais do que uma “superfície uniforme” de signos, um cinzento tipográfico. Cada um destes signos é um hipertexto; designando na tela um desses signos, o espectador avança ou recua no tempo do filme. Um signo traçado na parte alta da tela leva-nos para o princípio do filme, enquanto que um outro signo em baixo nos dirige para o fim. Percorrendo a imagem, linha a linha, ativámo-la segundo os nossos gestos na tela.
Jogando com a animação, em uma direção e logo em outra, apontando para os mesmo signos que o protagonista na tela, encontramo-nos numa situação paralela, leia-se convergente com este último. Uma variação de grau é possível; a situação do espectador torna-se cada vez mais análoga à do personagem, particularmente desde que a imagem, tornando-se progressivamente uma simples superfície de signos, já não oferece nem profundidade nem assunto, mas apenas uma parede. Da terceira pessoa, “ele,” à primeira, “eu,” as posições não estão definidas; ao contrario, elas são intermediárias e variáveis, elas estão à experiência.


 

 

Contratempo, Samuel Bianchini, 2004-2010
Maintenance, exposição individual, École européenne supérieure de l’image, Poitiers, França, de 4 de Maio a 4 de Junho de 2010.
Video -51s - Banda Larga recomendada
Imagens e edição : © Samuel Bianchini - ADAGP

 


To download this image in high definition (Tiff), click here


To download this image in high definition (Tiff), click here


To download this image in high definition (Tiff), click here


To download this image in high definition (Tiff), click here