À Distâncias (À Distances)

In situ Instalação interativa, 2011
Samuel Bianchini

Desenvolvimento multimídia: Oussama Mubarak
Captação e conselho técnico: Cyrille Henry
Fabricação da estrutura metálica: Michel Delarasse
Tela Leds: Adaptive Micro System Europe
Agradecimentos: Jean-Claude Kastelik, Laurent Debraux
Com o apoio da Universidade de Valenciennes e de Hainaut-Cambrésis, França; do Atelier Arts-Sciences, CEA Grenoble e Hexagone Scène nationale de Meylan, França; da Fondation de France, no âmbito da ação Nouveaux commanditaires, mediação Mari Linnman, 3-CA; da Maison du geste et de l’image (MGI) Paris, França; e da associação Dispothèque

 

 


To download this image in high definition (Tiff), click here

À Distâncias, Samuel Bianchini, 2011
Experimenta, exposição coletiva no âmbito dos Rencontres i, Biennale Arts-Sciences, Minatec, Commissariat à l’énergie atomique (CEA), Grenoble, França, de 5 a 8 de Outubro de 2011. Organizada por Hexagone Scène nationale de Meylan.
Fotografia: © Samuel Bianchini - ADAGP

 


To download this image in high definition (Tiff), click here

À Distâncias, Samuel Bianchini, 2011
Maison du geste et de l'image, Paris, França,  2012
Fotografia: © Samuel Bianchini - ADAGP

 

 


Um monolito em metal preto de dois metros de altura contém, na sua parte superior, uma tela Leds de um metro quadrado. O que essa mostra varia segundo as atividades do público à sua frente. Escuro, apagado, sem ninguém diante dela, ilumina-se desde que uma presença cruza o seu campo. Enquanto o público se mantém à distância, o monolito mostra imagens: fotografias retiradas da internet das principais e mais recentes atualidades. Reagindo aos mais pequenos movimentos de aproximação, a tela faz variar a nitidez das imagens segundo a distância a partir da qual são olhadas. À medida que o público se aproxima, a imagem torna-se desfocada até não ser nada mais que uma superfície de luz assim que um espectador se encontre a menos de 50 cm. Subsiste apenas, na parte inferior da tela, a medida da distância a que se encontra o espectador mais próximo, em tempo real, mas sem unidade.
A relação entre o público e a tela, passando da imagem à luz, evolui progressivamente. Uma vez passado o tempo do reconhecimento da imagem, o jogo de variações leva-nos a aproximarmo-nos da tela. A nossa silhueta aparece assim no seu campo, tomando o lugar da representação, expondo-nos, leia- se sobreexpondo-nos, ao olhar dos outros e da imagem.
Ao fluxo incessante da atualidade das imagens em tempo real responde o espaço de distâncias físicas, cuja variação – recuo ou avanço – desenha uma estranha coreografia, com a caixa negra que modela, quotidianamente, a nossa realidade: o computador.


 

 


To download this image in high definition (Tiff), click here


To download this image in high definition (Tiff), click here


To download this image in high definition (Tiff), click here

 
     
 
     
 
     
 
     
 

To download the image series in high definition (Tiff), click here

À Distâncias, Samuel Bianchini, 2011
Maison du geste et de l'image, Paris, França,  2012
​Fotografia: © Samuel Bianchini - ADAGP